Saiba o que é a DTM quais os tratamentos existentes

Disfunção Temporomandibular (DTM) é uma condição que causa dor, dificuldade de abrir ou fechar a boca e, em alguns casos, zumbidos no ouvido, que podem ser decorrentes de problemas musculares, de articulação ou resultado de doenças sistêmicas.

A articulação temporomandibular liga o maxilar inferior (a mandíbula) ao osso temporal do crânio, que fica ao lado da cabeça, frente a cada orelha. A articulação é flexível e permite a mastigação, a fala e também a ação de morder os alimentos. Os músculos que estão em torno dela, são responsáveis por controlar a posição e movimentos da mandíbula.

Causas e sintomas da DTM

As causas para esta disfunção podem estar relacionadas a um trauma na mandíbula ou ainda, artrite na articulação, danos causados por impacto ou idade, o ato de ranger os dentes, além de problemas estruturais presentes desde o nascimento. Há ainda estudos que apontam que pode ser causada pelo uso prolongado de aparelhos ortodônticos, má postura – que afeta os músculos do pescoço e do rosto, estresse e até má alimentação.

Em geral, a DTM acontece com maior frequência em mulheres, entre os 20 e 40 anos. Dentre os sintomas mais comuns estão: dor e sensibilidade no rosto, na área entre a mandíbula e as orelhas, pescoço, ombros e ao redor da orelha durante a mastigação, ao falar ou abrir a boca. Além disso, quando há limitação para abrir a boca, sensação de maxilar preso na posição de boca fechada ou aberta, estalos que saem da articulação ao abrir, fechar ou mastigar – que podem, ou não, virem acompanhados de dor, sensação de cansaço no rosto e inchaço do lado da face.

Outros sintomas comuns da DTM incluem dores de dente, dores de cabeça, tontura, dores de ouvido, problemas de audição, dor no ombro superior e zumbido nos ouvidos.

Tratamentos para DTM

Existem alguns tratamentos para suavizar os sintomas da DTM:

Placas de mordida: Indicadas especialmente a pessoas que costumam ranger os dentes enquanto dormem.

Exercícios fonoaudiólogos: visam treinar a “postura” da mandíbula e fazer o alongamento e o fortalecimento dos músculos.

Exercícios de fisioterapia: por meio de técnicas como eletroterapia, ultrassom e laser, eles melhoram a cicatrização dos tecidos e a mobilidade.

Medicamentos: quando usados com prescrição médica, analgésicos e relaxantes musculares podem trazer alívio;

Acupuntura: aumenta a quantidade de endorfinas, a técnica ameniza a dor e reduz o estresse;

Cirurgias: aplicadas em casos mais graves, quando não há resposta à terapia convencional.

Recomendações

Quem tem dor crônica precisa evitar tudo que sobrecarregue a musculatura e a articulação mandibular. Por isso, procure não apertar os dentes durante o dia; tente não dormir de bruços, já que isso pode estirar os músculos da mandíbula e do pescoço; evite comer alimentos muitos duros; e mantenha a boa postura de cabeça, pescoço e costas, pois isso ajudará a relaxar os músculos do sistema mastigatório.


Dúvidas? Fale com nossa atendente virtual no Facebook 🙂

Gostou? Compartilhe!

AGENDE SUA AVALIAÇÃO