Saiba como o estresse e a ansiedade podem afetar a saúde bucal

Saúde bucal também pode ser afetada por conta do estresse emocional e ansiedade.

A rotina corrida, o grande fluxo de informações, as diversas demandas do dia-a-dia tem elevado cada vez mais o número de brasileiros que sofrem com o estresse e a ansiedade. Dados recentes da Organização Mundial da Saúde apontam que o Brasil tem uma das mais altas taxas de ansiedade do mundo, com pelo 23, 9% da população.

Estresse e ansiedade também afetam a saúde bucal

Problema de saúde pública, o estresse e ansiedade desencadeiam problemas em todo o organismo, além do transtorno mental. Os dentistas estão cada vez mais convencidos de que a saúde bucal também é ligada ao estresse emocional, ou seja, que emoções muito fortes podem resultar em problemas bucais, entre eles o surgimento de aftas, gengivite e bruxismo, já que cada tipo de emoção faz com que ocorra a liberação de algumas substâncias, as quais provocam os problemas bucais.

O estresse emocional, por exemplo, causa reações capazes de perturbar a homeostase orgânica (propriedade auto-reguladora do organismo e que mantém o estado de equilíbrio do corpo).

Roer unhas: mau negócio para os dentes

Frequentemente, quem sofre com o distúrbio tem a mania de roer as unhas ou morder tampa de canetas, além de ter mais chances de desenvolver o bruxismo, hábito de ranger ou apertar fortemente os dentes – principalmente durante o sono.

Estudos apontam que o bruxismo está constantemente associado à ansiedade. Pode até soar inofensiva, mas essa prática é capaz de deixar os dentes doloridos, soltos e muito desgastados. Em alguns casos mais graves, pode causar sérios danos à mastigação e a destruição do osso circunvizinho ou do tecido da gengiva. Problemas na articulação da mandíbula, como a síndrome da articulação têmporo-mandibular (ATM), também podem ser resultado do bruxismo.

Vale lembrar que caso a ansiedade seja diagnosticada, é fundamental buscar ajuda de um cirurgião-dentista para avaliar a necessidade de um tratamento. Além da dor, sintomas como enxaqueca, insônia, excesso de sensibilidade dentária e até mesmo fratura dental podem indicar a desordem funcional.

Gostou? Compartilhe!

AGENDE SUA AVALIAÇÃO