Odontologia e esporte: qual o benefício desta combinação?

É época de Copa e os olhos de todo mundo estão todos voltados para o futebol. E se você imaginava que odontologia e esporte não têm relação, continue lendo para conhecer mais um pouco sobre a Odontologia do Esporte.

Esse termo é novo para você? O esporte é estimulante e inspira muitos à prática. O preparo físico, uma boa alimentação e hábitos saudáveis são premissas para quem quer se dedicar ao esporte, e a saúde bucal está inclusa no pacote.

Para ter um bom rendimento, toda a saúde deve estar em boas condições, o que inclui a saúde da boca.

Neste contexto, a Odontologia do Esporte tem muito a contribuir para o desenvolvimento dos atletas.

Odontologia do Esporte é relativamente recente

A especialidade passou a ser discutida em 2012, quando foi fundada a Academia Brasileira de Odontologia do Esporte, a ABROE.

Em 2015, a Odontologia do Esporte foi reconhecida pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO) acatando decisões da III Assembleia Nacional de Especialidades Odontológicas (ANEO), realizada em São Paulo, nos dias 13 e 14 de outubro de 2014, que reza em seu Art. 4º- “A Odontologia do Esporte é a área de atuação do cirurgião-dentista que inclui segmentos teóricos e práticos da Odontologia, com o objetivo de investigar, prevenir, tratar, reabilitar e compreender a influência das doenças da cavidade bucal no desempenho dos atletas profissionais e amadores, com a finalidade de melhorar o rendimento esportivo e prevenir lesões, considerando as particularidades fisiológicas dos atletas, a modalidade que praticam e as regras do esporte”.

Quais são as principais atribuições ?

A área se atenta à exposição dos atletas, principalmente, no que diz respeito à prevenção, desde doenças, como cáries e gengivites, até fraturas na região orofacial. Em relação às doenças, a concentração do esportista fica comprometida e pode haver complicações se as bactérias caírem na corrente sanguínea.

Quanto às fraturas, os cirurgiões-dentistas são responsáveis pela proteção facial uma vez que produzem, por exemplo, os protetores bucais sobre modelo em gesso, como preconizado pelas normas internacionais, aumentando a segurança dos profissionais.

Gostou? Compartilhe!

AGENDE SUA AVALIAÇÃO