O papel da odontologia no tratamento de distúrbios do sono e ronco

Conheça a importância da odontologia no tratamento de alguns distúrbios do sono como apnéia e ronco.

Todos sabemos que dormir bem é pré-requisito para ter saúde, disposição e qualidade de vida. Por isso é tão importante dar atenção aos problemas relacionados ao sono, seja na infância ou na fase adulta. Mas, você sabia que o dentista pode te ajudar a ter uma melhor qualidade do sono?

Ainda pouco conhecida, a odontologia do sono é uma área da odontologia que permite que o profissional atue no tratamento de distúrbios que comprometem o sono, como o ronco, apnéia e o bruxismo. A área estuda e busca tratamentos para esses tipos de distúrbios,normalmente relacionados a problemas respiratórios.

De maneira corriqueira, esses cirurgiões-dentistas trabalham de forma multidisciplinar, para discutir o melhor  plano de tratamento, já que existem mais de 80 tipos de desordens do sono. Ou seja, há o envolvimento de profissionais da saúde de várias especialidades, como nutricionistas, fonoaudiólogos e otorrinolaringologistas, dependendo de cada caso.

O tempo de tratamento varia conforme o nível do distúrbio e a colaboração do paciente, que muitas vezes precisa mudar hábitos cotidianos para alcançar a melhora na qualidade do sono.

Tratamentos odontológicos

Os tratamentos odontológicos são recomendados para apneias leves e moderadas. Uma das modalidades de tratamento é o uso de aparelhos intraorais (AIO) que, quando utilizados durante o sono, promovem o avanço da mandíbula, da base de língua e dos tecidos faringeanos, criando o aumento das dimensões das vias áreas superiores para favorecer a passagem do fluxo aéreo.

Hoje, há inúmeros aparelhos, com diferentes desenhos e materiais, mas todos se encaixam em duas categorias principais: os reposicionadores mandibulares (também conhecidos como de avanço mandibular) e os retentores linguais.

Os cirurgiões dentistas trabalham com evidências crescentes de que algumas intervenções ortodônticas e ortopédicas faciais podem contribuir no tratamento de crianças e adolescentes com distúrbios respiratórios do sono, podendo até prevenir ou adiar o aparecimento desses quadros na vida adulta. Os mais utilizados são: expansão de maxila, com o uso de disjuntores maxilares; tração reversa de maxila, que consiste na aplicação de dispositivos que promovem o deslocamento anterior da maxila; e aparelhos estimuladores do crescimento mandibular.

Como evitar ou minimizar os distúrbios do sono

Especialistas afirmam que algumas medidas simples podem ajudar a quem já sofre algum tipo de distúrbio. Estas mudanças de hábito são extremamente importantes para que o tratamento tenha resultado.

São elas:

  • Perda de peso;
  • Evitar a ingestão de álcool, principalmente próximo ao início do sono;
  • Abandonar o tabagismo, pois fumantes possuem um risco relativo quatro a cinco vezes maior de apresentar apneia do sono;
  • Evitar sedativos e tranquilizantes;
  • Tratar processos alérgicos e/ou infecciosos da via aérea superior;
  • Não dormir em posição supina, pois esse hábito aumenta a tendência ao colabamento da via aérea superior em razão da ação da gravidade sobre a língua, deslocando-a em direção à parede posterior da faringe.

Leia também:

» Avaliação odontológica: o que o dentista faz na primeira consulta?

» Por que você NÃO DEVE ir ao dentista somente quando sente dor

» Saiba o que acontece na sua boca enquanto você dorme

Gostou? Compartilhe!

AGENDE SUA AVALIAÇÃO